terça-feira, 30 de junho de 2009

Michael Jackson (29/08/1958 - ∞ )


Este texto entra como uma vírgula na minha história da música, pois é impossível tentar deixar passar isso em branco.
Para quem viveu essa era da música a notícia da morte de Michael Jackson soou estranha, soou falsa, soou impossível.
Há muito tempo que Michael não fazia nada de realmente relevante para a música, há muito tempo que as notícias sobre ele eram sensacionalistas e há muito tempo que ele era uma figura estranha de se ver.
Mas Michael Jackson era o Deus do Pop! E só vai entender isso quem viveu o verdadeiro surgimento do Pop.
Michael Jackson inventou o videoclip, inventou o “breakdance”, enfiou solos de guitarra em músicas para dançar e ele fez um álbum que vendeu (até 2006), 104 milhões de cópias!
O que mudou para nós, mortais? Nada, absolutamente nada. Ou alguém acha que Michael Jackson faria outro álbum avassalador? Ou inventaria outra dança? E, até por isso mesmo, é de fato, impossível “matar” Michael Jackson.
Sem a breguice do “ele continuará vivo para sempre em sua obra...”, ele simplesmente continuará tão inacessível quanto antes, tão incapaz de superar sua obra prima quanto antes e tão Deus do Pop quanto antes.
E o dia 25 de junho de 2009 será rapidamente esquecido, ao som de Beat It!

domingo, 28 de junho de 2009

Augustana - Can't Love, Can't Hurt


Minha atual playlist está realmente tendendo às bandas de “Rock melódico”. Alguns chamam de farofa, mas eu me considero ainda num patamar antes. Nesse Rock melódico ainda há uma luz de movimento alternativo, a banda procura sons diferentes e, principalmente, ao analisarmos o álbum, ele não soa como “pop”.
Comecei a ouvir Augustana com o primeiro álbum da banda “All The Stars And Boulevards”, um álbum excelente, e minha expectativa para o segundo álbum era grande.
Esse “Can´t Love, Can´t Hurt” não é tão bom quanto o anterior, mas ainda assim agrada. O álbum é mais lento e mais limpo que o primeiro, e eles parecem mais conscientes do som que querem fazer.
As três primeiras músicas já mostram de cara o estilo da banda, sendo que “Sweet And Low” é a melhor. Mais adiante destaque paraEither Way, I'll Break Your Heart Someday”, “Rest, Shame, Love” e “Where Love Went Home”
A banda, com nome inspirado numa palavra africana para a estação das monções, começou em 2002 e em 2003 eles gravaram um álbum chamado “Midwest Skies and Sleepless Mondays”, que teve apenas 1.000 cópias produzidas e que eu já procurei bastante, sem sucesso. O primeiro álbum comercial só veio em 2005, e eles conseguiram vender mais de 300.000 cópias emplacando várias músicas nas paradas, sendo “Boston” o single mais vendido deles, com mais de 1 milhão de cópias.
A formação atual conta com Jared Palomar (voz e baixo), Chris Sachtleben (guitarra e voz), Justin South (bateria e voz), Dan Layus (piano, guitarra e voz) e John Vincent (piano e voz).
O som é bom, a banda é boa e as músicas também. Sem rótulos, é só ouvir e gostar.

Sweet And Low (New Album Version) by Augustana on Grooveshark

domingo, 14 de junho de 2009

Jack´s Mannequin – The Glass Passenger


JM é uma banda da Califórnia, formada em 2004 e que lançou seu primeiro álbum, “Everything In Transit”, em 2005. Pouco antes de lançar esse primeiro álbum o líder e vocalista da banda Andrew Macmahon teve diagnosticada uma leucemia, que foi totalmente curada através de transplante de medula óssea. Após o fato, além de continuar normalmente com as atividades, a banda passou a participar de campanhas filantrópicas sobre o tema.

Eu cheguei a escutar esse primeiro álbum que, sinceramente, não me chamou a atenção, mas fui escutar novamente a banda agora, neste segundo álbum, The Glass Passenger, lançado em 2007.

Enfim, Andrew MacMahon (piano e voz), Bobby Raw Anderson (guitarra e voz), Jonathan Sullivan (baixo), Jay MacMillan (bateria) e Graeme Darbyshire (backing vocals) fazem um som bem legal no estilo “Rock-Piano-Melódico-Quase-Farofa” com refrões fortes e que grudam no ouvido, mas que definitivamente agradam.

Destaque para as primeiras faixas do álbum, “The Resolution”, “Spinning”, “Swin” e “American Love”e “Annie Use Your Telescope”.

Para quem quiser escutar um som novo e sem muito compromisso Jack´s Mannequin é uma excelente pedida.

  Spinning by Jack's Mannequin on Grooveshark


Jenny & the Scallywags - Shaking Heart

   Volta e meia aparece na minha frente um álbum realmente novo de um artista que nunca ouvi falar. De primeira, muitas vezes, não dou m...