sábado, 18 de julho de 2009

Butterfly Boucher – Flutterby

Ouvi uma música do novo álbum dessa cantora australiana, gostei, e resolvi ouvir o primeiro álbum inteiro.

Vivo repetindo aqui que gosto muito de cantoras, gosto de rock e de melodias bem trabalhadas, ah, e gosto também de elementos diferentes e novos. Essa frase acima resume o que é o som de Butterfly Boucher e explica porque gostei tanto dela.

O álbum tem 12 músicas e 8 boas músicas. As quatro que ficam de fora, só ficam pois são músicas lentinhas demais para uma cantora com tal vocação para o rock.

Pra começar “Life is Short”, forte e com bom refrão, resume o que vem pela frente e prepara para a ótima “Can You See The Lights” que com uma guitarra crua mostra um perfil mais alternativo da cantora que mesmo assim não deixa de grudar seu refrão no ouvido. Pulamos uma e vamos para o hit “Another White Dash” que soa como se já tivéssemos a escutado em algum lugar, sua introdução meio dissonante esconde um poderoso refrão com rif marcante de guitarra, paradinhas lentas onde a voz dela pode brincar a vontade.

“Soul Black” com uma dinâmica única me lembrou em alguns momento nada menos que o Rush, com um pouco mais de suingue, muito boa de ouvir. Em seguida, vem a baladinha melancólica “A Walk Outside” uma das melhores do álbum. “Busy”, “A Beautiful Book” e “Never Let It Go” perdem um pouco o pique das anteriores mas também são boas de ouvir.

Apesar de não parecer, Seu nome verdadeiro é esse mesmo. BB começou tocando baixo na banda da irmã e literalmente foi para a estrada na Europa. Depois de muito viajar e experimentar decidiu fazer carreira solo e, em 2003 lançou esse primeiro álbum “Flutterby”.

Butterfly Boucher faz um som melódico, bom de ouvir e ainda consegue trazer elementos novos em cada canção. Vale a pena escutar.

Life is Short by Butterfly Boucher on Grooveshark


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Jenny & the Scallywags - Shaking Heart

   Volta e meia aparece na minha frente um álbum realmente novo de um artista que nunca ouvi falar. De primeira, muitas vezes, não dou m...