quarta-feira, 20 de agosto de 2008

The Courteeners - St. Jude

Na mesma corrente de som que rema o rock inglês atual, o quarteto inglês de Manchester lança seu primeiro álbum, St. Jude.


Empurrada pelo seu primeiro single “Cavorting” lançado em agosto de 2007, a banda é feliz na seleção do repertório e, mesmo sem trazer grandes novidades musicais, faz o dever de casa com competência.


Liam Fray (Vocal, Guitarra), Daniel Conan Moores (Guitarra), Michael Campbell (Bateria, Backing Vocals) e Mark Cuppello: (Baixo) nos entregam um rock moderno e com variações rítmicas criativas com destaques para as faixas “Not Nineteen Forever”, “Cavorting” e “Blind Your Time”.


Este álbum não vai mudar a vida de nenhum de nós mas, no final das contas, ele soa bastante honesto e é uma boa pedida para quem está sedento por bandas novas.




quarta-feira, 13 de agosto de 2008

O Teatro Mágico - Segundo Ato

Atualmente estou com muita dificuldade de achar qualquer coisa no cenário nacional que valha a pena ser discutido. Porém o Teatro Mágico – Segundo Ato, vale.

Confesso aqui que nem conheço o primeiro álbum e escutei esse sem “vícios”, sem esperar nada e talvez por isso mesmo tenha me surpreendido.

Adianto logo que o som é alternativo sim e não vai estourar nunca! Mas isso não os coloca à margem de nada, muito pelo contrário, é um passeio delicioso pela música brasileira. Variando ritmos e instrumentos eles vão de norte a sul, sem nenhuma cerimônia, jogam com as palavras e seus sons, tornando a música quase uma brincadeira que no fundo esconde uma profunda crítica à nossa realidade.

O álbum é teatral mesmo e é essa a intenção. O líder e idealizador Fernando Anitelli (voz, violão e guitarra) é também o diretor artístico do espetáculo/álbum que conta com mais 8 músicos na banda .

No total são 19 faixas, mas tem muita coisa que é teatro, ficam umas 12 faixas musicais mesmo. Destaque para as “O Mérito e o Monstro”, “Criado Mudo”, “Eu Não Sou Chico Mas Quero Tentar” , “Abaçaiado” e “...” .

O mais legal ainda é que o Cd pode ser baixado gratuitamente no site da TRAMA VIRTUAL

O que fica é que vale muito a pena ouvir este álbum, um verdadeiro ar fresco na música brasileira atual. Diferente! Essa é a palavra.

Abaixo uma prévia. Boa diversão!


quarta-feira, 6 de agosto de 2008

CSS - Donkey

Confesso que a primeira vez que ouvi CSS fiquei desconfiado. Realmente não entendi o que eram eles (elas) e o que fazia aquela banda brasileira que cantava em inglês, ser a sensação dos moderninhos do momento.

Eu precisava de um segundo álbum e ele veio! Escutando esse CSS – Donkey, consegui entendê-los bem melhor. Acho que muito mais por causa da nova sonoridade da banda, bem mais comercial do que a anterior. Porém, é certo que esta sonoridade mais comercial vai desagradar os fãs mais antigos da banda, mas na contabilidade final o CSS sai lucrando, vai atrair mais do que espantar.

O álbum é bem mais Rock que o anterior, mas sem largar o dance underground que caracterizou a banda. A voz de Lovefoxxx está mais nítida e os instrumentos mais claros, ouve-se tudo bem melhor.

O álbum começa forte com “Jager Yoga” que, com bateria e baixo potentes, bebe na fonte de Killers-Interpol, e em seguida entra a também roqueira e melhor do álbum “Rat is Dead”. “Let´s Reggae All Night” brinca com a sonoridade “brega” dos anos 80. Tem de tudo na música, bateria eletrônica, voz sintetizada, teclado “abelha” no fundo, pura gozação. Em seguida o rock volta em “Give Up” e as seguintes “Left Behind” e “Beatiful Song” mantém o clima lá em cima e o álbum tem seu clímax em “How Become a Paranoid”, ótima.

As seguintes completam muito bem o álbum com destaque para “I Fly”, que entra pesando a última parte do álbum que finaliza bem mais calmo com “Believe Achieve” e “Air Painter”.

Cansei de Ser Sexy é uma banda brasileira formada em São Paulo, em setembro de 2003. A banda começou de maneira descomprometida e com exceção do baterista, ninguém sabia tocar praticamente nada.

Em 2006 a banda assinou contrato com a gravadora Sub Pop para lançar seu primeiro álbum nos EUA mas ainda antes de fazerem sucesso tiveram uma música incluída no seriado de Paris Hilton na FOX (The Simple Life), outra no jogo The Sims 2.

Reparem que a banda é formada por Lovefoxxx (vocal), Adriano Cintra (produção, bateria, guitarra, baixo e vocal) Luiza Sá (guitarra e bateria), Ana Rezende (guitarra e gaita), Iracema Trevisan (baixo) e Carolina Parra (guitarra e bateria). Ou seja, uma “bagunça" onde todo mundo toca tudo. Nada mais moderno!

Moderno, despreocupado, debochado e por mais pop que seja, ainda alternativos. É só conferir!

Jenny & the Scallywags - Shaking Heart

   Volta e meia aparece na minha frente um álbum realmente novo de um artista que nunca ouvi falar. De primeira, muitas vezes, não dou m...