domingo, 9 de dezembro de 2007

The Police - Maracanã


Bom, eu tinha que ir... e fui. Durante todo dia fiquei pensando como seria ver o show dos caras que achei que nunca mais veria, pois a volta do Police era pra mim tão impossível quanto a volta dos Beatles. Mas o impossível se realizou e lá estava eu com o ingresso na mão!

Entrei no Maracanã lotado assim que começou o showzinho do Paralamas ( eu acho que os três já deviam ter passado da fase de abrir show, pois o som é pior e o público não está muito aí para a banda de abertura) que serviu de música de fundo pra todo mundo procurar o melhor lugar e achar os amigos dentro do estádio.

As 21:30 em ponto o The Police pisou no palco do Maracanã direto com “ Message in a Bottle” emendando em “Synchronicity II”. O show prometia! Mesmo com uma pequena falha no som nas duas primeiras músicas, tudo estava indo bem. E continuou bem quando começaram a tocar as músicas “lado B” da banda como “Voices Inside My Head”, “Driven To Tears”, “Truth Hits Everybody”, “Hole In My Life” e “When The World Is Running Down” entremeadas por “Walking On The Moon” e “Don´t Stand So Close To Me”. Tudo nota 10! E para coroar vieram “Every Little Thing She Does Is Magic” e “Wrapped Around Your Finger”. A sensação era de felicidade completa.

Mas após a “WAYF” pra mim o show mudou, não sei se aconteceu alguma coisa entre eles, ou se foi comigo, mas achei que o andamento das músicas diminuiu, a interação do Sting com a platéia diminuiu e vieram um monte de Hits para os “não fãs”. É claro que “Roxane”, “Every Breath You Take”, “King Of Pain” e “ So Lonely”, nunca ficarão nem perto de ruins. Mas o fato é que a “De Do Do Do De Da Da Da” (acho que a única música deles que eu acho um lixo) foi o divisor de águas do show (veja o Set List abaixo), pois foi a partir dela que o show caiu.

Portanto com nota 10 para a primeira parte e 7 para a segunda, tivemos um show com nota 8,5.

Sting está cantando muito ! Andy Summers é um guitarrista ainda mais ousado e mais confiante e o Copeland, um animal ! Quase 30 anos depois o som é atual e inovador, pois tem muito pouca gente que consegue juntar Jazz, Reggae e Rock no mesmo saco e ter um resultado tão surpreendente

Críticas sonoras a parte, foi fantástico ter visto o “impossível” e poder guardar essa recordação como uma vitória, ou melhor um presente, para todos que gostam de música.

Set List

Message in a Bottle
Synchronicity II
Walking On The Moon
Voices Inside My Head
When The World Is Running Down
Don't Stand So Close To Me
Driven To Tears
Truth Hits Everybody
Hole In My Life
Every Little Thing She Does Is Magic
Wrapped Around Your Finger
De Do Do Do De Da Da Da
Invisible Sun
Walking In Your Footsteps
Can't Stand Losing You
Roxanne
King Of Pain
So Lonely
Every Breath You Take
Next To You

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Jenny & the Scallywags - Shaking Heart

   Volta e meia aparece na minha frente um álbum realmente novo de um artista que nunca ouvi falar. De primeira, muitas vezes, não dou m...